Publicidade

Jogadores de basquete chegam a fazer 500 arremessos em treino diário






Acertar a cesta não é tão fácil como parece.

Para a maioria das pessoas, é um círculo fechado demais. E até quem vive de fazer cestas, algumas vezes, tem dificuldade. Mas somente passando a bola entre o aro se faz ponto no basquete. É a cesta, a obsessão de qualquer jogador.

"Tem que se sentir bem na hora de fazer o arremesso e estar bastante concentrado e confiante de que a bola vai cair", diz Marquinhos, jogador do Flamengo.

O aro tem 46 centímetros de diâmetro aproximadamente, quase duas vezes o diâmetro de uma bola de basquete. Para ser bom nos arremessos, é preciso treinar as mãos, os ombros e até as pernas. Muito.
"Os arremessos variam. Às vezes são 500, 400 por dia", conta outro jogador.

A quantidade pode parecer exagero, mas tem explicação.

"Durante o treinamento você automatiza o seu movimento, então acaba realizando ele durante o jogo sem pensar", explica o jogador.

Que a especialista em repetição de movimentos no esporte, Martina Navarro, pesquisadora de bioengenharia ocular Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), faz questão de reforçar.
"Tem que sair de forma automática, porque o tempo que ele tem entre decidir e executar o movimento é muito curto", diz.

Tudo pode ficar mais difícil. O basquete tem o arremesso de três pontos, quando os atletas arriscam as jogadas de uma distância superior a 6,75 metros, demarcada por uma linha.

O arremesso de três pontos pode definir uma partida. Uma combinação de treinamento, preparo psicológico e um pouquinho de sorte também.


Comente:

Nenhum comentário