Publicidade

"Se tratamento não resolver, tive uma vida muito boa", afirma Oscar






Ex-jogador espera participar de evento do Hall da Fama do basquete em setembro, nos EUA Foto: Getty Images 

Oscar Schmidt, ex-jogador de basquete, realizou palestra na noite desta terça-feira em São Paulo, e comentou sobre a cirurgia pela qual passou no fim de abril para a retirada de um glioma no cérebro. De bom humor, Oscar conversou com jornalistas e se mostrou tranquilo quanto ao resultado da intervenção cirúrgica para a retirada do tumor.

"Estou beleza. Você quer ver a cicatriz?", brincou o ex-atleta e comentarista, em declaração reproduzida pelos principais jornais do País nesta quarta-feira. "Espero que o tratamento resolva. Se não, paciência. Eu tive uma vida muito boa. Foi linda. Consegui tudo o que queria", completou.

De acordo com explicações do próprio jogador, a operação é recorrente, feita a cada três meses para controle desde que teve o primeiro tumor diagnosticado. Em maio de 2011, ele já havia se submetido à retirada de um nódulo no crânio, mas que deixou células cancerosas. Segundo ele, na última operação, "apareceu um negocinho" que precisou ser retirado. A operação foi realizada pelo neurocirurgião Marcos de Queiroz Teles Gomes.

O ex-ala deve realizar sessões de quimioterapia e radioterapia pelos próximos 45 dias. Usando boné, de bom humor, Oscar disse que espera viver pelo menos até setembro para comparecer à cerimônia de nomeação ao Hall da Fama do basquete, que acontece nos Estados Unidos, em setembro.




Comente:

Nenhum comentário